O lanche ideal

Uma das principais preocupações dos últimos 20 anos é o crescimento da obesidade infantil devido à falta de cuidado com a alimentação. As crianças estão cada vez mais se alimentando com gorduras saturadas, bolachas recheadas, salgadinhos, refrigerantes e doces. Sendo assim, é importante ter atenção ao elaborar a lancheira das crianças. Uma merendeira adequada deve ser composta de alimentos nutritivos para proporcionar o equilíbrio necessário para o crescimento e desenvolvimento, auxiliar na defesa imunológica e propiciar maior rendimento escolar dos filhos.

comidinhaConfira algumas dicas:
 Uma lancheira com alimentos nutritivos deve conter: 1 porção de carboidratos (pães, biscoitos, cereais, bolos simples etc.), uma porção de proteína (queijo, iogurte, requeijão, queijo pasteurizado), 1 porção de frutas e 1 bebida (sucos, achocolatados, água de coco). 
 Caso a criança queira levar lanches que não são muito nutritivos negocie a escolha de um dia da semana para esse tipo de lanche. 
 Inclua as crianças no processo de compra dos alimentos e preparo da lancheira, e explique a importância desses alimentos para a saúde delas. 
 Cuidado com a conservação dos alimentos. Utilize lancheiras térmicas ou frasqueiras com bolsinha de gelo reutilizável. Falta tempo para fazer um lanche mais natural para os filhos? Isso não é problema. Hoje existem muitas opções de produtos industrializados que são saudáveis. Basta priorizar pães e biscoitos industrializados com menores quantidades de gordura e de açúcar possíveis e, de preferência, integrais; e sucos de caixinha sem açúcar e conservantes.

O que incluir:
Biscoitos ou cookies integrais, bolos, pães integrais, sucos de frutas, produtos lácteos (leite, iogurtes, queijo fresco, requeijão), frutas.

E o que evitar:
Biscoitos recheados, salgadinhos, chocolates, balas, doces, bolos recheados, frituras e refrigerantes.

Fonte: Revista Guia do Ensino Infantil

Cozinhando com as crianças

frutasvegetaisEstudos em diversas partes do mundo mostram que crianças que participam do preparo das refeições gostam mais de frutas, vegetais e comidas saudáveis. O simples fato desses alimentos estarem disponíveis em casa e na escola já familiariza a criança com eles e aumenta a chance delas gostarem de comê-los. Outra prática interessante e bastante educativa é levar os pimpolhos e pimpolhas para a feira livre. Bastante comuns aqui no Brasil, elas são coloridas e os produtos geralmente estão em ótimo estado de conservação. Além das frutas, verduras e leguminosas; ovos, frangos e peixes também são vendidos, além de vários outros produtos. Muitas feiras têm barracas de pastéis e caldo de cana, e faz a alegria de quem por elas passam. Produtos regionais também são populares, como o deliciosos queijo Serra da Canastra, que vem de Minas Gerais e produtos nordestinos, como a tapioca recheada de queijo coalho. Tudo delicioso e fresco.

Um estudo da Universidade de Alberta, no Canadá, chegou à conclusão que chamar as crianças para ajudar a preparar as refeições é a melhor maneira de fazer com que elas aprendam a fazer escolhas saudáveis na alimentação (fonte: Revista Crescer):

Depois de analisar o comportamento das crianças na cozinha, os cientistas perguntaram o que elas gostavam de comer. A maioria afirmou gostar de frutas. Mas aqueles que participaram do preparo das refeições mais vezes também colocaram verduras e legumes na lista de preferências, além de se mostrarem mais confiantes sobre a importância de fazer escolhas mais saudáveis.

É claro que as atividades na cozinha devem ser sempre monitoradas por adultos.

=> Leia a matéria da Revista Crescer na íntegra:

Seu filho não come nada? Leve-o para a cozinha!

=> Leia mais sobre as feiras livres:

Brasil Escola: Dia do Feirante