Inteligência Emocional nas #escolas: Programa Amigos do Zippy comemora 5 anos na Cidade Maravilhosa #SaúdeEmocional #educação

.:. Ideias em Gotas .:.

Neste segundo semestre tive o enorme prazer de conhecer de perto o Programa Amigos do Zippy, realizado no Brasil pela ASEC – Associação pela Saúde Emocional de Crianças. Fui contratada para fazer o boletim que comemora os cinco anos dos multibenefícios do Amigos do Zippy no Rio de Janeiro. Após entrevistas, pesquisas e participação nas aulas de duas escolas da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro – CIEP Presidente João Goulart [Ipanema] e E. M. O’Higgins [Bangu] – apresento os resultados. Gostaria de registrar um agradecimento especial à professora Ana Rosa Dourado, da escola O’Higgins. Ana Rosa começou como merendeira e hoje é uma professora dedicada e apaixonada. Me emocionei ao ver o carinho com que ela conduz a sala de aula. Professores como ela me fazem acreditar num futuro melhor para as crianças. As fotos são da Ana Carvalho.

Boa leitura!

Inteligência Emocional nas escolas:
Programa Amigos do…

Ver o post original 2.984 mais palavras

#Fotos da oficina d’O mundo colorido de Francisca! #evento #Ipiranga70 #diversão #Rio #ProgramaçãoInfantil

O evento foi muito legal. É muito gratificante termos a presença de crianças interessadas e conversadeiras, que desejam um mundo de mais amor e respeito! O ‘Ipiranga, 70‘ foi um sucesso!

Venha colorir nos dias 12 e 13/12 no #evento #Ipiranga70 #diversão #grátis #Rio #FoodTruck #música #arte #gastronomia #ProgramaçãoInfantil

Nos dias 12 e 13 de dezembro, o Instituto Sociedade Amante da Instrução (ISAI), instituição sem fins lucrativos que atende 160 crianças carentes de 5 a 11 anos vai realizar, no bairro de Laranjeiras, um evento beneficente para os festejos de Natal. O ‘Ipiranga, 70‘ busca arrecadar recursos para obras e melhorias dos espaços das crianças.

O evento contará com gastronomia, música, arte e atividades infantis. O Mundo Colorido de Francisca não poderia ficar de fora. Vamos estar lá brincando muito! Além da festa ao ar livre, o evento promoverá, ainda, visitas guiadas pelo prédio de arquitetura colonial, para matar a curiosidade de quem nunca passou pelos portões da casa.

Chica_ISAI

O Instituto Sociedade Amante da Instrução é localizado na Rua Ipiranga 70.

FoodTrucks e Bikes confirmados:

TapiRoad
Burgertopia
Oinc Point
Upgrade
Beer 21
Empório de Minas
Los Mendozitos
Paleta Carioca
Brasileiríssimo Gourmet
Original
Le Petit Paris
La Furgoneta
Don ConeOne (Bike)
A Peregrina
Suco Que Beleza

Expositores confirmados:

Eu Vi Primeiro
Regina Costa – Joalheria Autoral
Livia Costa Joias
Knoty Knots
O Pão
Laboratório Di Pasta

Para ouvir  no sábado – 12/12:
Dj Ricardo Carvalho
15h – Lars Hokerberg e banda
17h – Thiago Martins e Dudu Azevedo
18h – The Peixes
19h – Forró de Rabeca

E no domingo – 13/12:
Dj André Pinguim
15h – Último Copo
16h – Devir
17h – Cardosão
18h30 – Don Pablito
20h – Makinando

– Para as crianças
Brinquedos | Oficina de colorir: ‘O mundo colorido de Francisca’, com Carol Graciosa – 12 e 13/12, às 15h

– Para matar a curiosidade
Visita guiada pelo casarão

– Espaço pic-nic!

Serviço:

12 e 13 de dezembro
12h às 21h
Rua Ipiranga, 70 – Laranjeiras

 

3a #FLIVA #FeiraLiterária #literatura #livro #Valença #SulFluminense #foto #evento #ProgramaçãoInfantil

O Mundo Colorido de Francisca participará da #Fliva – Feira Literária de Valença no feriado do Dia das Crianças #livro #LiteraturaInfantil

Estaremos, mais uma vez, na Fliva, com oficina no dia 9 de outubro, para comemorarmos o Dia das Crianças com muita alegria! Veja a programação completa no site do evento: www.fliva.com.br. Até lá!

Fliva_09

E as crianças nos ensinam sobre #aceitação, #diversidade e #inclusão. #educação #LiteraturaInfantil #livro #literatura

MPB_CoverOnly_HR-300x300Aqui no blog sempre falamos em diversidade e inclusão e nunca em aceitação. A aceitação permeia os conceitos, tanto de diversidade quanto de inclusão, mas o site do livro My Princess Boy (Meu menino é uma princesa, em tradução livre) me chamou a atenção para o uso da palavra em si.

A americana Cheryl Kilodavis escreveu o livro originalmente para explicar e apoiar a preferência de um de seus filhos por ‘coisas bonitas’, consideradas femininas, como roupas de balé, a cor rosa e vestidos brilhantes de princesas.

O controverso livro explora a identidade de gênero e a tolerância. My Princess Boy tornou-se um movimento de aceitação para cada criança que já se sentiu discriminada ou incompreendida pelo simples fato de ser diferente das demais.

Em fevereiro deste ano a Revista Nova Escola nos presenteou com uma matéria de capa bastante polêmica, para refletirmos sobre sexualidade e gênero, ‘Educação sexual: precisamos falar sobre Romeo…‘.  Na maioria das vezes a escola trata com preconceito quem desafia as normas de papéis masculinos e femininos.romeuNovaEscola

Mas como lidar com um aluno que se veste de princesa? Cheryl conta o que fez e fala em “amizade incondicional”. Quando ela notou que o filho pudesse sofrer bullying na escola por usar um vestido ao invés de roupas masculinas, ela procurou a professora para uma conversa.

A professora dividiu os anseios de Cheryl com outros educadores e responsáveis e um plano foi traçado para apoiar tanto o filho dela quanto outras crianças que se expressam de forma diferente.

Debates sobre tolerância são uma das melhores respostas ao bullying, e podem ajudar a fazer o mundo voltar ao que é mais básico e importante: compaixão. Como podemos ter mais compaixão uns com os outros? Com comprometimento, esforço e amor, afirma Cheryl.

Ao viajar para contar sua história em seminários e capacitações, Cheryl sentiu necessidade de produzir um material que ajudasse na cruzada pela aceitação. Ela desenvolveu o que chamou de The Acceptance Curriculum – O Currículo da Aceitação.

O currículo proposto por Cheryl pretende ajudar na facilitação de conversas sobre aceitação, ensinando o poder de parar para ouvir e entender como cada criança expressa a sua própria singularidade. Somos todos diversos e merecemos ser aceitos e compreendidos.

“A escola, que deveria abraçar as diferenças, pode ser o ambiente mais opressivo que existe”, defende Iana Mallmann, 18 anos, ativista contra a homofobia. “Muitos ainda abandonam as salas de aula por não se sentirem bem nesse espaço”, completa Beto de Jesus, secretário para América Latina e Caribe da Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, pessoas Trans e Intersex (Ilga, na sigla em inglês). Revista Nova Escola, fevereiro/2015

PrincessBoy

Dyson, o caçula de Cheryl, brincando de ser feliz.

O professor, facilitador ou responsável, por meio das atividades d’O Currículo da Aceitação, pode ajudar cada criança a acreditar que a aceitação é possível, e que existe um lugar seguro para todos reconhecerem as diferenças uns dos outros e serem quem são.

Cheryl conta que foi seu filho mais velho, então com 6 anos, quem a fez “acordar” para a aceitação do mais novo. Enquanto ela proibia o caçula de usar e brincar com as “coisas de meninas”, o mais velho disse: “Por que você não pode simplesmente deixá-lo ser feliz, mãe?”

Essas e outras nos levam a crer que as crianças sempre têm as respostas, e os adultos as esquecem com o tempo.

Mais #fotos do Salão do Livro de São Gonçalo #aniversário #2anos #divulgação #leitura #livro #diversidade #inclusão #LiteraturaInfantil #literatura

.:. Fotos gentilmente cedidas pela Secretaria de Educação de São Gonçalo .:.