A era pós-industrial: cidades verdes, pegada ecológica e criatividade

 palmeirasPesquisadores e estudiosos chegaram à conclusão de que as cidades, são sim, verdes! Esse é um novo conceito que desafia os cientistas tradicionais a pensarem e agirem de uma nova forma. Com o objetivo de disseminar essa nova concepção é importante incorporar no ensino tradicional a importância da Pegada Ecológica. A “Pegada Ecológica” ou Ecological Footprint em inglês, é um indicador de sustentabilidade ambiental. O índice examina a dimensão dos impactos negativos que as atividades exercidas por nós causam junto às fontes naturais. Cada estilo de vida demanda uma certa quantidade de matéria e energia da Natureza, produz resíduos e provoca emissões de gases que desestabilizam o meio ambiente.

É essencial qualificar os educadores para que eles promovam debates sobre a percepção das relações entre todos os sistemas naturais.  Principalmente a ligação das cidades, ecossistemas urbanos, com os ecossistemas selvagens. Para que possamos ter um mundo mais sustentável é necessário que as novas gerações entendam a importância da preservação dos ambientes naturais, seja qual for o caminho profissional que elas sigam no futuro. Citando o professor de Educação para a Sustentabilidade, Robert Farrell:

“Uma mudança de consciência, que é vital para a mudança de comportamento, é muito difícil de alcançar e exige o processo desafiador e lento de desaprender e reaprender.”*

Educação para a Sustentabilidade ou para o Desenvolvimento Sustentável, como vimos no post do dia 11 de janeiro, significa educar para um mundo mais justo, o que envolve os pilares econômicos, sociais e ambientais. O sistema educacional vem recebendo muitas críticas: a falência do processo de aprendizagem, escolas consideradas “máquinas de triagem” ou reprodutoras do status quo….

A escola que deveria ser ferramenta de transformação social para muitos é ainda considerada uma fábrica de força de trabalho. Força utilizada por governos para a busca incessante pelo poderio econômico no mercado globalizado – escravizando e sufocando talentos individuais – e até mesmo para a promoção da Guerra, a exemplo dos EUA.

Estamos no Século XXI, mas a Educação ainda está nos moldes ultrapassados. Continuamos reproduzindo uma educação de modelo industrial, que alimenta um sistema econômico massacrante e injusto. O mundo mudou muito, todavia o nosso sistema de educação não acompanhou o ritmo. Temos que reconhecer que existem muitos caminhos para que os jovens tenham sucesso e que é necessário proporcionar o apoio adequado e criar oportunidades para que eles desenvolvam seus talentos individuais. Vivemos na era pós-industrial, que é a era da criatividade, pois a força de trabalho físico hoje é feita pelas máquinas e o trabalho mental facilitado pela tecnologia. Portanto, o homem tem uma tarefa insubstituível: ser criativo.

O importante da educação não é apenas formar um mercado de trabalho, mas formar uma nação, com gente capaz de pensar. José Arthur Giannotti

Leia aqui texto interessante que fala sobre “A Era Pós-Industrial, a Sociedade do Conhecimento e a Educação para o Pensar”.

*Tradução Livre

Deixe um comentário bem colorido ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s